segunda-feira, 26 de setembro de 2016


O que acontece com o seu corpo se ele receber o tipo de sangue errado?
Doar sangue é um ato de amor e solidariedade que pode ajudar e salvar a vida de muitas pessoas. Quando se faz uma doação de sangue, cerca de menos de meio litro do seu flúido vermelho são coletados.
Você sabe o que acontece com o seu sangue se você resolver doar? Aqui no site da Fatos Desconhecidos, nós já exibimos para você a resposta para esta pergunta.
Por conta de alguma doença grave, acidente, algum agravante que faça com que o corpo necessite de mais sangue, os hospitais sempre precisam de todos os tipos sanguíneos. Mas o que acontece com o seu corpo se ele receber o tipo de sangue errado?
De acordo com o Hemolabor, para você poder doar sangue, é preciso que tenha entre 18 e 67 anos, desde que sua primeira doação tenha sido feita até os 60 anos, pesar acima de 50kg, ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas, evitar alimentação gordurosa durante as 3 horas anteriores ao momento em que você for doar e ter documento original com foto(pode ser Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Passaporte, etc).
Quando uma pessoa recebe um sangue incompatível, as células de defesa vêem o sangue doado como uma espécie de agente invasor no corpo.
Imediatamente a reação do organismo é lutar como se uma infecção estivesse adentrando o seu corpo. As hemácias começam a ser destruídas e a pessoa começa a sentir febre, dores, frio e ardor onde recebeu a injeção. As complicações se agravam, a urina escurece e você pode ter insuficiência renal aguda. A situação pode ser revertida, mas só se caso os glóbulos vermelhos não fiquem na corrente sanguínea.
Em casos mais extremos, pode se levar à morte, que foi o que aconteceu com Joaquim Barbosa da Silva, um idoso de 93 anos que passou por uma cirurgia de amputação da perna esquerda(resultado de uma inflamação) no Hospital Geral de Fortaleza(HGF) e recebeu do Hemoce sangue do tipo “B”.
A família conta que Joaquim tem o tipo sanguíneo “O” positivo e, depois que recebeu o flúido errado, começou a se sentir mal e desmaiou.
A amostra de sangue foi trocada e sido pêga de forma descuidada por uma enfermeira do hospital e o procedimento de transfusão acabou sendo feito com o material errado. Os parentes da vítima entraram na justiça com uma ação por falha médica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário